iPhone 3G está à venda no Brasil

Fonte: Adnews e Reuters

A acirrada disputa entre as duas primeiras colocadas no mercado brasileiro de celulares pôde ser percebida nas estratégias de lançamento do iPhone, que começa a ser vendido hoje no Brasil.

Depois de a Claro anunciar que teve acesso a um lote inicial de 30 mil aparelhos e prever, inclusive, a escassez do modelo diante da forte demanda, a Vivo anunciou na última quinta-feira preços menores que a concorrente e um lote com 200 mil aparelhos.

A Vivo é a maior operadora do Brasil em número de clientes, enquanto a Claro assumiu a segunda posição no mês de agosto, posto que havia perdido para a TIM há quatro anos.

Vivo e Claro são as únicas cujas controladoras possuem acordo com a Apple para a venda do celular iPhone no Brasil.
Vivo

A operadora anunciou que o preço do modelo de 8GB varia de R$ 899, no Vivo iPhone Completo, a R$ 1.499, no Vivo iPhone 50. No pré-pago, ou para quem não quer mudar de plano, o aparelho de 8GB sai por R$ 1.899 e o de 16GB por R$ 2.199.

O presidente da Vivo, Roberto Lima, explicou que, a partir desses preços, a companhia fornece descontos de acordo com o perfil do cliente, o tempo em que ele está na base da operadora e o plano de minutos que ele tem.

Além disso, na contratação dos planos Vivo Escolha iPhone, os consumidores automaticamente têm acesso a uma franquia de voz para ligações locais a qualquer telefone, pacote de SMS e pacotes de dados, além de uma vantagem adicional gratuita. Por um período limitado, os clientes ainda ganham mais minutos para ligar de Vivo para Vivo e mais torpedos SMS.

Dos 42 milhões de assinantes, a Vivo acredita que algo como 1 milhão possam ter interesse no iPhone.

A empresa encaminhou uma mala direta em agosto para os clientes em que percebia potencial interesse pelo aparelho. Para aqueles que se interessaram ao saber das condições, a companhia agendou a entrega no local e data estipulados pelo assinante.

De acordo com Lima, a partir de outubro o iPhone chega também às revendas especializadas. A prioridade continuará a ser o atual assinante Vivo, mas outros clientes poderão ser atendidos, conforme a disponibilidade.

“Acredito que vamos conseguir atender a demanda”, afirmou Roberto Lima.
Claro

No caso da Claro, os preços variam entre 1 mil e 2,6 mil reais, mas o preço mais baixo é obtido graças a descontos mensais na franquia.

Por meio de nota, a operadora reforçou que o pagamento poderá ser feito por financiamento, o que possibilita o parcelamento do aparelho em até 24 vezes sem juros.

Quem optar por esta forma ganhará descontos mensais no valor da franquia do plano contratado que, no total, pode chegar a uma economia de até R$ 999. Nesse caso, o desembolso mensal pelo aparelho é de R$ 41,67 e o valor final pago cairia R$ 1.999 para R$ 1.000.

A Claro criou outros três novos planos – Claro iPhone 200, Claro iPhone 300 e Claro iPhone 400. O valor da franquia promocional varia de R$ 84,90 a R$ 137,90 mensais (preços válidos para o estado de São Paulo).

O iPhone 3G poderá ser adquirido pelos clientes da Claro e por quem ainda não é cliente. Conforme compromisso assumido pela operadora, aqueles que se cadastraram em seu site para informação e, em contato realizado pela Claro, confirmaram o interesse na compra do iPhone 3G, estarão entre os primeiros a adquirir o celular.

O aparelho da Apple estará disponível em 25 lojas próprias da Claro distribuídas pelo país, nas cidades de São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Goiânia, Recife, Fortaleza, Vitória, Belém, Manaus.

A Claro recebeu um lote inicial de 30 mil aparelhos e acredita que vai faltar iPhone no Brasil.

Segundo João Cox, presidente da Claro, em audioconferência com jornalistas, “é de se esperar que falte aparelhos nesta primeira etapa”. Ele afirmou que “a demanda é muito grande, é impressionante”. Em um cadastramento de interessados feito no seu site desde o início de agosto, a companhia recebeu, segundo ele, “mais de 100 mil interessados”.

Estes, no entanto, se cadastraram para receber informações sobre o modelo, e não necessariamente irão adquirir o celular. A Claro se comprometeu a procurar essas pessoas para checar seu interesse.

Cox explicou que “é natural que no lançamento de um produto, haja um ajuste de produção. A demanda é grande em todos os lugares e a Apple tem tentado atender a todos e uma forma de fazer isso é reduzir um pouco dos pedidos de cada um, mas virão muito mais à frente”.

Ele ressaltou que o pedido inicial da Claro “era muito maior que isso”, referindo-se aos 30 mil aparelhos recebidos. A empresa já fez pedidos para o ano inteiro, mas ele informou não poder revelar a quantia pedida.
Oi e o desbloqueio do iPhone

A chegada do iPhone às operadoras brasileiras Claro e Vivo obriga a Oi a rever sua política de desbloqueio de aparelhos. Apesar de a campanha da operadora alardear o desbloqueio grátis de qualquer aparelho, ela não poderá desbloquear o celular da Apple.

É que no caso do iPhone, a determinação de bloqueio vem do fabricante, e não das operadoras brasileiras, como normalmente acontece. Ao desbloquear um iPhone, a Oi correria o risco de ser processada pela Apple, motivo pelo qual a operadora deve recomendar aos usuários que busquem o desbloqueio por seus próprios meios.

A Oi ainda busca um caminho legal para desbloqueio do iPhone, aos moldes do que faz com os demais modelos de terminais. Nesses casos, apesar de ser alvo até de um processo movido pela Claro, a operadora se diz amparada pelo regulamento do Serviço Móvel Pessoal (SMP), que veta a cobrança para desbloqueio de aparelhos.

Tags: , ,

Leave a Reply